Quando sua Opinião não vale Nada

anedotaJá faz algum tempo que tenho evitado participar de reuniões de familia, de amigos dos meus pais, e de pais de meus amigos. Ao mesmo, também tenho evitado cada vez mais participar de discussões inflamadas em comentários de redes sociais, e minhas listas de contatos vão diminuindo cada vez mais.

Quando isso fica evidente, duas acusações vem logo em seguida:
A primeira, diz que estou me isolando.
A segunda, que sou uma pessoa intolerante, que não sabe conviver com opiniões diversificadas.

E em minha defesa, gostaria de dizer… que não tenho uma boa defesa.
Acabar mais isolado é uma triste consequência, e a diversidade de opiniões se reduz absurdamente quando você demanda um padrão. E nesse sentido não há como negar, muita gente, MUITA gente, mesmo os que se consideram superiores por ter diploma superior, não fazem idéia de como se deve correr um debate.

Para um debate de fato ocorrer, existe uma série de regras a serem seguidas e respeitadas, para que falácias não sejam cometidas e os argumentos sejam válidos.

Nessa hora, é que venho falar sobre a imagem da capa.
Tive o desprazer de topar com ela em diversas comunidades das quais faço parte, todas as vezes com centenas de comentários e discussões intermináveis, e não tem jeito gentil de dizer isso: Pra um bando de gente formada e metida a culta, estão todos dando vergonha.

Tudo virou apenas a “Minha anedota” contra a “Sua anedota” jogando no lixo tudo o era pra terem aprendido sobre como conduzir estudos e como defender suas teses. Reduz-se a questão a duas historinhas particulares pra competir entre elas, e quem gritar mais alto torna-se o dono da verdade.
Imaginem alguém que tem um trabalho de faculdade pra entregar, e na hora de fazer sua defesa, a pessoa vem com uma entrevista, um caso, uma amostra. Exatamente aquela que confirma a tese. Parece ridículo, mas é o que estão fazendo, o tempo todo.
É o tipo de competição que exceto se você for um ególatra, não se sente enrriquecido ao final do dia, apenas exausto.

Como deveria se dar um debate no mundo dos adultos?
Bom, existe uma lista de falácias lógicas as quais não se devem cometer, e a lista delas é fácil de encontrar.
O Espantalho, a Evidência Anedótica,  a Ladeira Escorregadia, todos conhecem.
O que não é muito falado, é o que um “bom” debate deve conter, talvez por aparentar ser meio óbvio. Um debate deve conter MUITA informação. E você não precisa reinventar a roda pra isso: Informação pode ser condensada e compactada através de estudos e estatísticas.

A idéia de um bom debate, é justamente evitar opiniões singulares!
Opiniões não dão conta de um mundo complexo como o nosso, não valem muito.
São amostras muito pequenas.

Algo deu muito errado em algum momento, e desenvolvemos essa super-valorização da “Opinião”, como se fosse um direito sagrado que deve ser respeitado por todos. Mas não é por aí.
Todo mundo tem direito à opinião? Sim.
Toda opinião vale alguma coisa? Não.
Algumas opiniões vale mais do que outras? Certamente.

Uma coisa, é você dizer que racismo não existe porque na sua empresa tem um cara negro que recebe igual todo mundo, ou que o filho dele não é vitimista e não quis se beneficiar com o sistema de cotas.
Outra coisa, é dizer que houve um Censo Realizado em 2010 pelo IBGE demonstrando que o rendimento médio recebido pelos brancos correspondem ao dobro dos pagos aos pretos, e que Ipea demonstrou que em Alagoas morrem 17 negros pra cada 1 pessoa de outra cor.

Contra dados, o únicos argumentos são mais dados.

É preciso entender que se uma opinião precisa exigir respeito, é porque provavelmente ela não se sustenta por ela mesma através da base lógica.

Parafraseando George Carlin… “Se você é tem a opinião que precisamos respeitar todas opiniões, então minha opinião é que não preciso respeitar sua opinião”.

Vamos começar a honrar o que temos entre as orelhas, pessoal.
Toda vez que formos escrever algo na internet, vamos fingir que é um TCC.
Defendam os argumentos com a apresentação dados.

Quanto às reuniões familiares… Bom, não tem lógica que possamos apresentar, por mais convincentes que sejam, pra pessoas que valorizam mais a intensidade de uma convicção, do que a lógica.

Então sinto muito, mas você começa ou termina alguma conversa com “Essa é minha opinião, respeite”, provavelmente ainda não tem maturidade para debater…